Age of Empires 2!

age of empires front

The Age of Kings é ambientado na Idade Média e contém 13 civilizações jogáveis. Jogadores focam em coletar recursos, com os quais eles usam para construir vilas, criar tropas, e finalmente destruir seus inimigos. Possui também cinco campanhas históricas, que coloca o jogador a se especializar em condições históricas. Também possui três modos de jogo single player (um jogador) adicionais, além de sistema multiplayer (multijogador) suportado.

Usando o mesmo motor de jogo e códigos similares ao seu antecessor, o desenvolvimento de The Age of Kings levou um ano a mais do esperado, forçando a Ensemble Studios a lançar Age of Empires: The Rise of Rome em 1998 ao invés do The Age of Kings. O time de design se focaram em resolver problemas significantes em Age of Empires, mas foi notado no lançamento que muitos problemas restaram.

Age of Empires 2

E a jogabilidade?

A recepção de The Age of Kings foi bastante positiva, e o jogo recebeu altas notas em revisões dos críticos. Um significante número de novas características foram adicionadas, juntamente com melhoras na jogabilidade. Muitos avaliadores criticaram que as unidades eram brandas e desinteressantes enquanto outros consideraram The Age of Kings muito similar ao seu antecessor, Age of Empires. Três meses depois de seu lançamento, dois milhões de cópias de The Age of Kings foram vendidas, e foram os mais vendidos em sete países. O jogo ganhou múltiplos prêmios e deu um impacto significante nos jogos futuros em seu gênero.

The Age of Kings um jogo da Microsoft, foca na construção de vilas, coleta de recursos, criação de exércitos e destruição de unidades e construções inimigas. Jogadores conquistam vilarejos e impérios rivais, avançando sua própria por quatro “idades”: a idade das trevas, a idade feudal, a idade dos castelos e a idade imperial, começo do renascimento, assim passando por mil anos da história.1 Progredindo para novas unidades permite o uso de novas unidades, construções e tecnologias, mas os jogadores precisam pagar uma quantidade de recursos e construírem certos edifícios antes de avançarem.

Jogadores escolhem para jogar como uma das 13 civilizações divididas em quatro estilos arquitetônicos, Oeste Europeu, Centro Europeu, Oriente Médio e Oriente, sendo o que determina a aparência das construções dentro do jogo. As civilizações são variadas em pontos fortes e fracos com atenção a economia, tecnologia e batalha, e cada uma pode acessar uma diferente e poderosa “unidade única”.2 3 Para adicionar a variedade, cada civilização tem a definição de seu idioma nativo como som, ouvidos quando se seleciona ou comanda uma unidade para cumprir algo.

Unidades civis, chamadas de “aldeões”, são usadas para a coleta de recursos. Tais recursos podem ser usadas para treinar unidades, construir edifícios e desenvolver tecnologias, entre outras várias coisas. O jogo oferece quatro tipos de recursos: comida, madeira, ouro e pedras. A comida é obtida pela caça de animais, coleta em arbustos, uso do gado, agricultura e pescaria. Madeira é obtida pela derrubada de árvores; ouro é obtido pelas minas de ouro, comércio ou possuindo uma relíquia em um monastério; e a pedra é coletada pelas minas pedreiras. Aldeões necessitam de típicos depósitos, onde armazenam os recursos coletados.4 Cada civilização pode comprar atualizações que aumentam a coleta desses recursos. Jogadores que constroem uma construção especial, o mercado, pode adquirir ou vender recursos por ouro. Os preços do mercado flutuam com cada troca de recursos.5
Existem cinco campanhas em The Age of Kings, contendo cenários baseados na história como a invasão de Genghis Khan na Eurásia, a Cruzada de Barbarossa ou a defesa de Saladin na Terra Santa.

aoe2Nas campanhas de Joana D’arc e William Wallace, o jogador pode controlar uma unidade baseada em seus respectivos nomes; nos outros, os jogadores ganham ordens para ser o representante do comando do exército.6 Três das campanhas, sendo elas focadas em William Wallace, Saladin e Genghis Khan, terminam em uma história alternativa. Na campanha de Willian Wallace, o exército escocês vencem a Batalha de Falkirk e fazem uma invasão, já planejada, na Inglaterra. Na realidade os ingleses ganham uma vitória decisiva em Falkirk e forçaram William Wallace a se esconder. Na campanha de Saladin, Ricardo, Coração de Leão e suas forças de seguidores Cruzados são derrotados no Cerco do Acre e são forçados para retornar para a Europa. Historicamente, Acre cai para os Cruzados e os europeus continuam a atacar Jerusalém. Na campanha de Ghenghis Khan, as hordas mongóis comandadas por Ogedai Khan consegue a conquista da Polônia e da Hungria e implicou que o resto da Europa simplesmente se rendeu a eles, sendo a vitória completa na missão final da campanha, dizendo que “agora nada está entre nós e o Oceano Atlântico”. Na realidade, Ogedai morreu logo após a invasão da Polônia e os mongóis deixaram a Europa.

 

Recentemente a Microsoft liberou uma versão Remasterizada em HD que vale a pena dar uma conferida.

 

Fonte: Wikipedia